Fundação Tropical realiza simpósio sobre pesquisas em animais peçonhentos

O público alvo são alunos e profissionais das áreas de biologia e saúde

A Fundação de Medicina Tropical Dr Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), realiza a partir desta quarta-feira (28/11) até sexta-feira (30/11) o 1º Simpósio Nacional de Pesquisas Clínicas em Animais Peçonhentos. As inscrições para os minicursos e para o seminário podem ser feitas por meio da Internet, no link https://www.sympla.com.br/i—simposio-nacional-de-pesquisas-clinicas-em-animais-peconhentos__347780.

Os minicursos, destinados a alunos de graduação e pós-graduação das áreas de biologia e saúde, serão realizados na FMT-HVD, nesta quarta-feira (28/11). Enquanto o seminário, na quinta-feira (29) e sexta-feira (30/11), será realizado no Hotel Tropical, bairro Ponta Negra, zona oeste de Manaus.

De acordo com o presidente do simpósio, médico Wuelton Monteiro, os minicursos vão abordar questões relacionadas à biologia de animais peçonhentos, como serpentes, escorpiões, aranhas etc. “Serão discutidos tanto a parte biológica, quanto a parte clínica, questões do tratamento dos pacientes vítimas de acidentes com estes animais”, explica o especialista.

O seminário contará com a presença de especialistas tanto do Brasil quanto de outros países. “Esses profissionais abordarão temas sobre as novidades que temos na parte clínica, no tratamento de vítimas de acidentes, principalmente, com serpentes e escorpiões, porque são os tipos de acidentes mais frequentes”, afirma Monteiro.

Monteiro diz que acidente com animais peçonhentos ocorrem com grande frequência no Brasil todo, em todas as regiões de países tropicais, porém, na Amazônia, a intensidade é maior. “Ocorre com maior intensidade ainda pela maior exposição das pessoas. Primeiro, que a gente tem uma diversidade muito mais rica, uma fauna muito mais abundante deste tipo de animais, e muito mais diversa. Tem espécie que a gente ainda conhece pouco”, afirma o pesquisador.

Segundo Monteiro, outra característica na região relacionada a animais peçonhentos é a distribuição geográfica da população, fazendo com que a maioria dos acidentes ocorra em áreas distantes de unidades de saúde, o que resulta na demora no socorro, causando por vezes sequelas ou até a morte da vítima. “Muitos pacientes são acidentados em áreas rurais e ribeirinhas. Isso acaba retardando o diagnóstico e o tratamento”, afirma Monteiro.

Conforme dados da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), em 2017, foram registrados 2.071 acidentes com animais peçonhentos no Amazonas, com 13 mortes. Enquanto em 2018, até outubro, foram registrados 2.276 acidentes, com 10 mortes.

A FMT-HVD é referência estadual no tratamento de pacientes vítimas de acidentes com animais peçonhentos.

Inscrição – A inscrição para os minicurso custa R$ 50 e para o seminário R$ 100. Inscrições em grupo de 10 pessoas têm direito a desconto de 40%. O público alvo são alunos e profissionais das áreas de biologia e saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here