Ex-prefeito de Autazes terá de devolver R$ 7,8 milhões aos cofres públicos

IMG_4115

Durante a 18ª Sessão Ordinária, realizada na manhã de hoje (25), o colegiado julgou irregulares a prestação de contas do ex-prefeito de Autazes, Raimundo Wanderlan Penalber Sampaio, referente ao exercício 2012.  De acordo com o relator do processo, conselheiro Josué Filho, entre as irregularidades encontradas estão obras e serviços de engenharia diversos, que não tiveram seu fiel cumprimento de licitação, planejamento, execução e aceite comprovados pelo Poder Executivo de Autazes; despesas realizadas e não comprovadas no mês de dezembro de 2012; e o pagamento em atraso das contribuições previdenciárias, que geraram juros e multas. O ex-prefeito terá que devolver mais de R$ 7 milhões aos cofres, num prazo de 30 dias.

O colegiado decidiu pela irregularidade das contas (exercício de 2010), do ex-prefeito de Tefé, Sidônio Trindade Gonçalves. As multas e glosa aplicadas ao ex-prefeito somam R$ 3,4 milhões. As irregularidades que nortearam a decisão do colegiado foram a não comprovação de construção de escolas; o pagamento de diárias sem justificativas; e a ausência de comprovação de execução de serviços de contenção de erosão da orla do município. O ex-prefeito Sidônio Trindade Gonçalves, ainda foi inabilitado por cinco anos para o exercício de cargo de comissão ou função de confiança, em virtude da existência de graves infrações por ele praticadas, nos termos do art. 54 da Lei Orgânica-TCE/AM.

Foi julgada irregular a prestação de contas do SPA Joventina Dias, de responsabilidade dos ex-diretores Antonio Moraes de Aquino (no período de 01/01/2013 a 01/04/2013), e Marcos Paulo Vieira Melo (de 01/04/2013 a 31/12/2013). A não informação pelo sistema E-Contas/TCE da expedição de Notas de Empenhos; não apresentação de documento que comprove o devido controle de bens; e a ausência de Processo Licitatório, Dispensa ou Inexigibilidade de Licitação e Contrato Administrativo, foram algumas das irregularidades que levaram os gestores a terem as contas reprovadas. O ex-diretor Antonio Moraes de Aquino recebeu multa de R$ 8,7 mil e Marcos Paulo de R$ 17,5 mil.

 O ex-secretário de Estado da Produção Rural, Eron Braga Bezerra, e a ex-secretária-executiva do órgão Tanara Lauschner, tiveram a prestação de contas referente ao exercício de 2012, julgada irregular pelo pleno do TCE. As impropriedades detectadas foram os adiantamentos concedidos aos servidores da SEPROR, onde houve a concessão acima do limite legal permitido; e a não apresentação dos documentos comprobatórios das despesas e a justificativa para a ausência de procedimento licitatório na realização de despesas que ultrapassaram o valor máximo de 10% da modalidade Convite. O ex-secretário foi condenado a devolver, entre multas e glosa, R$ 2,6 milhões; e a ex-secretária executiva recebeu multa de 15 mil. Ainda foram condenados o fiscal da SEPROR Djalma Farias Teixeira, glosa de R$ de 2,4 milhões; a empresa MCW Construções, no montante de R$ 2,3 mihões; a empresa Credencial Engenharia juntamente com o fiscal da obra Elisimar de Souza Moura, no valor de R$ 128 mil; e a empresa A.V Guimarães juntamente com a fiscal de obra Fabiola Maria Freitas de Souza, no montante de R$ 147 mil.

 O presidente da Câmara Municipal de Nova Olinda do Norte Carlos Rodrigues da Silva, também teve a prestação, exercício de 2014, julgada irregular. Foi aplicada multa de R$ 8,7 mil por conta de irregularidades como ausência dos comprovantes de passagem nos processos de concessão de diárias; e ausência de documentação de regularidade fiscal nos pagamentos mensais de todos os contratos e cartas-contrato.

Regulares com ressalvas

Foram julgadas regulares com ressalvas as prestações de contas do prefeito de Tonantins, exercício de 2013, Simeão Garcia Nascimento, e foram aplicadas multas de R$ 18 mil; do ex-prefeito de Urucurituba, exercício 2006, Edivaldo Silva Araújo, com aplicação de multa de R$ 13 mil; do presidente da Câmara Municipal de Borba, exercício de 2014, Simão Peixoto Lima, com multa de R$ 6 mil; do ex-secretário de Estado de  Segurança Pública- SSP, exercício de 2013, Paulo Roberto Vital de Menezes, sem aplicação de multa; e do Fundo Penitenciário do Estado do Amazonas, exercício de 2014, de responsabilidade de Cícero Romão de Souza Neto, sem aplicação de multa.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here