Cheia Cidades

Estado se prepara para a cheia que pode ser a maior dos últimos 100 anos

FOTO: Raphael Alves

Dados do Centro de Monitoramento e Alerta (Cemoa), da Defesa Civil do Amazonas, apontam que o estado pode enfrentar a maior cheia dos últimos 100 anos. Atualmente, 20 municípios do interior estão em situação de emergência; 22 estão em transbordamento – incluindo a capital, Manaus; três estão em alerta; e outros oito em estado de atenção. Apenas nove municípios estão em normalidade, em todo o Amazonas.

“Devemos atingir o pico no final desse mês de maio. Hoje, 42 municípios estão sendo diretamente afetados pela subida dos rios (em situação de emergência e transbordamento). A Defesa Civil tem trabalhado com as prefeituras, no sentido de orientar as Defesas Civis municipais, para que elas atendam todos os protocolos de decretação de estado de emergência, para que a gente consiga recursos, ajuda do estado e do Governo Federal”, disse o governador Wilson Lima.

Durante o lançamento do Auxílio Estadual Enchente, benefício no valor de R$ 300, a ser concedido para 100 mil famílias afetadas pela subida dos rios, o governador detalhou a situação do Amazonas e as ações desenvolvidas pelo estado, em relação à cheia.

“Nós temos um Centro de Monitoramento que acompanha toda essa questão pluviométrica, o que tem acontecido em cada calha de rio e os alertas que são emitidos para que as prefeituras possam tomar as ações iniciais. Temos ido até os municípios, estive na calha do Purus e Juruá, que foram os primeiros atingidos”, ressaltou o governador.

“Já visitei 12 municípios e amanhã estou indo para um município que está sendo muito atingido, que é Anamã, que fica totalmente debaixo d’água e esse ano, mais uma vez, está sendo atingido de forma muito severa”, acrescentou.

Operação Enchente

Desde fevereiro, o Governo do Estado está executando uma série de ações para minimizar os impactos das famílias vítimas da cheia. Por meio da Operação Enchente 2021, o Estado já levou ajuda humanitária, água potável e ações nas áreas social, saúde e de fomento, como anistia de dívidas e operações de crédito, aos municípios em Situação de Emergência decretada em razão da cheia.

O Auxílio Estadual Enchente vai injetar R$ 30 milhões na economia. Com isso, os investimentos do Governo do Estado na Operação Enchente 2021 somam R$ 97 milhões, uma vez que as demais ações da operação têm previsão total de R$ 67 milhões em recursos.

A operação começou a ser executada assim que os primeiros municípios, das calhas do Purus e Juruá, começaram a decretar Situação de Emergência por conta da enchente.

“Nós temos informativos de atenção e de alerta emitidos desde dezembro (de 2020), quando foi traçado um prognóstico dessa possível cheia. Isso demonstra um trabalho preventivo, antecipado, onde a gente dispara as informações para que os municípios possam se antecipar, se precaver e preparar as suas ações de respostas baseadas nos seus planos de contingência”, enfatizou o coronel Francisco Máximo, da Defesa Civil do Amazonas.

A operação já levou cestas básicas para mais de 15 mil famílias, além de botijões de gás de cozinha, combustível, operações de crédito Emergencial e Solidário, perdão de dívidas de financiamentos contraídos junto à Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), além de estações de tratamento de água potável. Somente em crédito, o Governo do Estado, por meio da Afeam, realizou 733 operações, que somadas totalizam mais de R$ 4 milhões.

A ajuda chegou às calhas do Juruá (Eirunepé, Envira, Guajará, Itamarati, Ipixuna, Juruá e Carauari) e do Purus (Boca do Acre, Pauini, Lábrea, Canutama e Tapauá).

Municípios em situação de emergência (20): Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Envira, Itamarati, Carauari, Juruá, Boca do Acre, Pauini, Lábrea, Canutama, Tapauá, Borba, Nova Olinda do Norte, Novo Aripuanã, Manacapuru, Careiro da Várzea, Anori, Caapiranga e Anamã.

Municípios em transbordamento (22): Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, São Paulo de Olivença
, Amaturá, Santo Antônio do Içá, Tonantins, Iranduba, Beruri, Itacoatiara, Silves, Autazes, Urucurituba, Itapiranga, Barreirinha, Boa Vista do Ramos, Nhamundá, Urucará, São Sebastião do Uatumã, Parintins, Maués e Manaus.

Municípios e alerta (03): Manicoré, Manaquiri e Careiro.

Municípios em atenção (08): Jutaí, Fonte Boa, Japurá, Maraã, Uarini, Alvarães, Tefé e Coari.

Municípios em normalidade (09): São Gabriel da Cachoeira, Santa Isbel do Rio Negro, Barcelos, Novo Airão, Apuí, Humaitá, Rio Preto da Eva, Presidente Figueiredo e Codajás.

*Com informações da assessoria

Deixe um comentário