Escolas particulares estão ativas na quarentena e vão cobrar mensalidades

Conforme sindicato, o pagamento da mensalidade é para assegurar a manutenção dos serviços prestados e a remuneração de professores e das equipes que atuam nas escolas.

O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Amazonas (Sinepe-AM) explica que, apesar da suspensão das aulas presenciais, as escolas não pararam de funcionar e continuam atendendo seus alunos, investindo em ferramentas tecnológicas para oferecer atividades pedagógicas a distância (EAD), capacitação e adequação de um conteúdo cada vez mais atrativo para os estudantes. O pagamento da mensalidade é fundamental, a entidade alerta, para assegurar a manutenção dos serviços prestados e a remuneração de professores e das equipes que atuam nas escolas.

De acordo com a presidente do Sinepe-AM, Elaine Saldanha, a mensalidade corresponde a uma parcela do valor do custo total do ano ou semestre letivo, incluindo inclusive os meses de janeiro, julho e dezembro.

As escolas privadas que não estão oferecendo ferramentas de suporte remoto devem obedecer as resoluções dos conselhos de educação do município e Estado, que determinam que deverão apresentar um calendário especial de aulas cumprindo os 200 dias letivos. “As instituições também mantiveram a totalidade de seus colaboradores, arcando com seus salários e tributos no período”, esclareceu a presidente do Sinepe-AM.

Por Portal A Crítica

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here