Energia elétrica no Amapá só deve ser normalizada em 30 dias

Planos envolvem os estados de Amazonas, Pará e Roraima para envio de peças, motores e transformadores. Reparação de um dos transformadores queimados será iniciada. ─ Foto: Foto: Albenir Sousa

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse hoje (5) que há expectativa de que sejam restabelecidos de 60% a 70% do abastecimento de energia elétrica no Amapá. O estado enfrenta problemas no fornecimento desde terça-feira (3), quando um incêndio atingiu um dos três transformadores de uma subestação de energia, deixando 14 de seus 16 municípios sem energia, entre eles, a capital, Macapá.

Apesar de o incêndio ter atingido um dos transformadores, mais dois equipamentos foram danificados, e não há possibilidade de reaproveitamento de peças, inviabilizando o religamento da estação. Segundo o ministro, a operação de retomada do fornecimento de energia envolve o conserto de um dos três transformadores, o menos danificado. Testes para verificar se o equipamento ainda pode ser reutilizado estão sendo feitos desde o início da manhã.

“Temos uma perspectiva de reparo de um dos transformadores ainda no dia de hoje, o que, se for bem-sucedido restabelecerá de 60% a 70% da carga do estado. E estamos desencadeando outras ações para que, no prazo de 30 dias, todos os transformadores necessários para dar segurança energética ao estado estejam totalmente restabelecidos”, disse o ministro, após encontro com o governador do estado, Waldez Góes. “Se não for no dia de hoje, vamos continuar trabalhando para que isso possa ocorrer amanhã ou depois de amanhã.” acrescentou.

Bento Albuquerque enfatizou que o restabelecimento das condições normais de abastecimento energético no estado deve levar 30 dias. Depois do encontro com o goverrnador, o ministro disse que, entre as medidas em estudo, está o transporte de dois transformadores para substituir os equipamentos danificados. Um dos transformadores chegaria ao Amapá dentro de 15 dias, e o outro, em até 30 dias.

“Estamos adotando outras ações para trazer geradores para o estado do Amapá, a fim de servirem como segurança ao fornecimento de energia e também para atender locais especiais naquilo que for priorizado pelo estado”, acrescentou Albuquerque.
Incêndio

O incêndio na subestação de energia ocorreu às 20h47 de terça-feira, o que levou ao desligamento automático da linha de transmissão Laranjal/Macapá e das usinas hidrelétricas de Coaracy Nunes e Ferreira Gomes, que abastecem a região.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, o restabelecimento das condições de fornecimento de energia teve início ontem (4), às 6h09, com a recomposição parcial da carga da usina de Coaracy Nunes.

Após o incidente, a pasta criou um gabinete de gestão de crise, com participação de agentes do setor, como o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a Eletrobrás e a LMTE (concessionária da linha de transmissão), para a atuação integrada de todos visando a buscar o rápido restabelecimento de condições normais de fornecimento de energia ao estado.

O ministério informou ainda que vai apurar os fatos e as responsabilidades, “tempestivamente, com vistas a prestar contas à sociedade, bem como para contribuir na identificação de medidas preventivas que devam ser adotadas para evitar incidente semelhante”.

Fonte: ABr

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here