Em sessão, desembargador do Tribunal de Justiça do Amapá faz piada sexual

Desembargador Carlos Tork

Após testar positivo por Covid-19 em março, o Desembargador Carlos Augusto Tork de Oliveira, 58 anos, responde agora a investigação por aparecer sem camisa durante sessão virtual do Tribunal de Justiça do Amapá, e na sequência, soltar palavrão por causa da carga de trabalho, queixando-se de que não lhe sobra tempo “nem para uma trepadinha”. O caso foi arquivado pelos colegas do TJAP, mas não escapou da corregedoria nacional do CNJ.

O ministro Humberto Martins, corregedor nacional, abriu procedimento para contra o desembargador do Amapá adepto da pornografia.

Também virou alvo o desembargador José Manzi, que fez piadinha pornô contra uma colega no Tribunal Regional do Trabalho catarinense.

O corregedor do CNJ tem tido trabalho redobrado, durante a pandemia, em razão de ofensas ao decoro, à ética e à lei, como no caso Santos.

Foi Humberto Martins que adotou as primeiras providências contra o desembargador Eduardo Siqueira, do TJSP, que humilhou um guarda.

*Com informações da Coluna Cláudio Humberto/Diário do Poder

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here