Em Presidente Figueiredo, vereador Jones Castro pode ir a Júri Popular por morte de fiscal

Passados três anos após ter atropelado e matado a fiscal de meio ambiente Clemência Assunção da Silva, de 31 anos, o vereador de Presidente Figueiredo, Jonas Castro (PSB), poderá ir a Júri Popular. A ação foi impetrada na última segunda-feira (8) junto à Vara Criminal do município pela defesa da família.

De acordo com Yury Thury, advogado da mãe da vítima, os trabalhos estão voltados para a condenação do réu. “O assistente da acusação busca, assim como o promotor de justiça, a condenação do acusado. Devido à impunidade do denunciado, a família da vítima assassinada viu a necessidade de contratar um advogado criminalista para acompanhar o trâmite processual”, afirmou Thury.

Ainda conforme a defesa, o próximo passo será marcar uma Audiência de Instrução e Julgamento (AIJ), para que se consiga levar o réu Jonas Castro a júri popular. Atualmente, ele responde pelo crime de lesão corporal grave, considerado hediondo pelo Código de Processo Penal, além de embriaguez ao volante e direção perigosa.

O crime

A fiscal de meio ambiente Clemência Assunção da Silva, 31, foi atropelada no dia 31 de maio de 2015, na rodovia AM-240, pelo vereador Jonas Castro. Ela chegou a ser levada ao hospital, mas morreu cinco dias depois. Segundo familiares da vítima, o político dirigia o veículo e estaria bêbado. O incidente ainda deixou a mãe e a filha da vítima feridas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here