Dia Mundial da Água tem abraço simbólico e reflexão sobre importância das nascentes

(Foto: Arlesson Sicsu)

A Prefeitura de Manaus realizou uma manhã de atividades socioambientais no Parque Municipal Nascentes do Mindu, gerido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), para marcar a passagem do Dia Mundial da Água, nesta sexta-feira, 22/3.

A programação teve como finalidade promover uma reflexão sobre a importância da preservação das nascentes, em especial as do Igarapé do Mindu, protegidas pelo parque, e sensibilizar a comunidade, com a presença de mais de 300 estudantes de escolas das redes municipal e estadual, situadas no entorno da unidade de conservação, além de voluntários e moradores. O ato culminou com um abraço simbólico às nascentes pelos estudantes, marcando também o aniversário de 13 anos do parque.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antonio Nelson de Oliveira Júnior, celebrar a data mundial em homenagem à água no Parque Nascentes do Mindu é um momento simbólico porque na unidade estão abrigadas as nascentes que mantêm vivo o maior igarapé da cidade, o do Mindu, que tem 22 quilômetros de extensão. “Vamos comemorar essa data fazendo uma reflexão sobre a importância das nascentes e agradecendo a oportunidade de estarmos aqui num local sagrado como esse”, afirmou o secretário Antonio Nelson, falando aos estudantes.

A ação, realizada em parceria com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), contou com a presença do procurador do Ministério Público de Contas (MPC), Ruy Marcelo Alencar de Mendonça, do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TJAM). Segundo o procurador, a presença das crianças e jovens no parque é o começo de um trabalho de sensibilização fundamental para a preservação das nascentes. “Gostaria de parabenizar a todos por estarem aqui para falar sobre a importância das nascentes do Mindu para a cidade de Manaus”, afirmou Ruy Marcelo, que percorreu pela primeira vez as trilhas do parque até o local das nascentes.

Os alunos das escolas municipais Raul Veiga e Álvaro Botelho Maia aproveitaram para realizar uma caminhada com faixas e cartazes pelas ruas do bairro alertando para a importância da conservação do meio ambiente e dos recursos hídricos. “Essa ação é muito importante porque muitas dessas crianças são moradoras de comunidades carentes dessa região e andam pelas trilhas do parque sem ter a noção exata da importância das nascentes. Sem a proteção do parque, o igarapé vai morrer”, alertou Renato Mateus Gomes da Silva, funcionário da Escola Municipal Álvaro Botelho Maia.

A professora Selma Batista, do curso de Geografia da UEA e integrante do Conselho Consultivo do Parque Nascentes do Mindu, apresentou um resultado parcial do levantamento de dados feitos junto à comunidade sobre a questão do descarte de resíduos no entorno e no interior do parque. “A ideia é estabelecermos uma parceria com a Secretaria Municipal de Limpeza Pública, Semulsp, e entendermos o dia a dia da comunidade para montarmos uma estratégia diferente e identificarmos como a comunidade trata o seu lixo”, afirmou. Foram aplicados mais de 200 questionários junto aos moradores pelos alunos do curso e os agentes de sensibilização da Tumpex.

O diretor de Áreas Protegidas da Semmas, Marcio Bentes, ressaltou que o Parque Nascentes do Mindu é um berçário do Igarapé do Mindu, daí a importância e grandeza dessa área. “Cuidar do parque é cuidar do Igarapé do Mindu, com a nobre missão de darmos continuidade a manutenção desse importante recurso”, lembrou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here