Desafio Jungle Runners reúne 417 atletas no Paraíso D’Ângelo, em Manacapuru

Os participantes enfrentaram um percurso de 7 km
Os participantes enfrentaram um percurso de 7 km

Com diversos obstáculos como travessia de lago, lama e subindo escadas, o 2º Desafio Jungle Runners de Mountain Bike e Cross Country reuniu 417 atletas no Complexo Turístico Paraíso D’Ângelo, em Manacapuru. O evento aconteceu neste domingo, 26 de janeiro, e recebeu o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Juventude, Desporto e Lazer (SEJEL).

Ciclistas e corredores dos grupos Endurance, Jungle Runners, Pedala Manaus, Pé Urbano, Pedala Pesado, Movimente-se participaram do percurso de 7 quilômetros nas duas modalidades em busca da premiação total de R$ 4,4 mil (R$ 600 para o campeão, R$ 300 para o vice e R$ 200 para o terceiro nos dois naipes).

No Montain Bike Masculino quem levou a melhor foi Maque Cativo de Oliveira, 33, que conquistou o bicampeonato com o tempo de 23 minutos e 59 segundos. “Foi um percurso muito difícil por causa da chuva, mas deu para melhorar um pouco”, comentou o campeão do município de Novo Airão  e que também é bicampeão do Circuito Amazonense de Mountain Bike Master A 2012-2013. Em segundo ficou Cleyton Vedan Andrade, 26, de Manacapuru,  e em terceiro Lucas Adriel, 19, de Manaus.

DIONÍSIO VENCE CROSS COUNTRY

Na corrida pedestre masculina quem se destacou foi o atleta do Centro de Treinamento de Alto Rendimento da Amazônia (CTARA) e da Jungle Runners, Dionísio Cardoso, que terminou os 7 quilômetros em 24 minutos e 20 segundos.

Apesar de ter errado um trecho do percurso em mais de 300 metros, Dionísio ainda conseguiu terminar a competição em primeiro lugar. “Como eu estava muito distante do segundo colocado, deu para eu corrigir percurso. A prova foi muito boa e os obstáculos difíceis”, enfatizou Cardoso.

Na corrida pedestre feminina quem se destacou foi Juliana Gusmão Rodrigues (Endurance) com o tempo de 30 minutos e um segundo, superando Ciranilde Santos e Willy Sandra.  “Foi muito difícil porque tinha muita lama, mas deu para superar tudo isso, estou muito feliz”, confessou a campeã.

De acordo com um dos organizadores, Allan D’Ângelo, a equipe preparou trechos com obstáculos para deixar a corrida mais emocionante. “O atleta teve que atravessar um lago e subir escada com a bike nas costas, correr em local com lamas, sem contar o terreno que é desnivelado. Todos estão de parabéns pelo sucesso do evento”, declarou Allan.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here