CPI dos combustíveis realiza primeira reunião

(Foto: Divulgação)

Com a finalidade de apurar irregularidades no segmento de combustíveis no Estado do Amazonas, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), de autoria do deputado estadual Álvaro Campelo (PP), realizou na tarde desta sexta-feira (05), no Auditório Beth Azize na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), a primeira reunião com membros e suplentes, para a definição de agenda dos trabalhos de investigação. A Comissão é composta pelos deputados Álvaro Campelo (PP), autor da proposta, Abdala Fraxe (PODEMOS), Fausto Junior (PV), Alessandra Campêlo (MDB) e Joana Darc (PR), presidente da ‘Comissão’. Os Deputados Serafim Corrêa (PSB), Dermilson Chagas (PP) e Felipe Souza (PHS) que assinaram o requerimento de instalação da CPI, também estiveram presentes.

A reunião ainda contou com a participação do diretor-presidente do Programa Estadual de Proteção e Orientação do Consumidor (PROCON/AM), Jalil Fraxe, Delegado Eduardo Paixão, da Delegacia Especializada em Crimes contra o Consumidor (Decon) e do representante da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Vladmir Costa.

De acordo com Álvaro Campelo (PP), o objetivo principal da iniciativa é investigar a suposta formação de cartel entre donos de postos de combustíveis no estado, que combinam preços e reajustes. “O alinhamento de preço, sem dúvida, é um forte indício que caracteriza a existência de um cartel, mas não é o único. Precisamos ir ao interior do estado para nos subsidiar de outras informações necessárias para que possamos levar a investigação mais a fundo e, assim, darmos uma resposta rápida e efetiva aos consumidores do Amazonas” disse Campelo (PP).

O parlamentar Progressista ressalta que em nenhum momento a intenção é prejudicar os empresários do segmento, mas buscar esclarecer os fatos à população. “Sabemos da importância da geração de emprego que o setor proporciona. No entanto, aqueles que têm a intenção de obter lucros, prejudicando o consumidor, certamente serão punidos,” garantiu o autor da investigação.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here