COM MEDO DO POVO

Ademir-RamosO Lula, a presidente Dilma e os petralhas estão viajando pelo Brasil afora, atirando pra todos os lados, almoçando aqui e reunindo ali, prometendo que vão trabalhar “diuturnamente, inclusive, de noite” – foi assim que ela falou – para sanear a crise. Na verdade, a inteligência do governo já informou que neste domingo, 16 de agosto, o povo vai pra rua dar o troco contra a corrupção, os desmandos e o cinismo do PT e de seus aliados que além de mentir politicamente saquearam o erário e de tabela a PETROBRAS, drenando recurso em forma de propina para alimentar o caixa dos partidos políticos, bem como os caprichos dos seus agentes políticos no cenário nacional. Os petralhas, como ficaram conhecidos os dirigentes do PT e seus cúmplices, estão se borrando de medo do povo e da Justiça Federal, inventando fatos para enganar os lesos e desatentos, afrontando a inteligência do povo, querendo que a gente acredite piamente que eles “erraram sim como qualquer um pode ter feito”. A desculpa do amarelão é a febre e do ladrão é a impunidade. Tanto Zé Dirceu, quanto LuLa e Dilma jamais poderiam imaginar que a Justiça Federal iria se levantar contra a sua vontade e trancafiar na cadeia os mentores e subordinados deste ato que é um dos maiores crimes contra a República.

O SOBERANO: Não tem papo, entre as maravilhas da burguesia, a soberania popular é um dos maiores legados histórico que a Democracia agregou em sua Forma de Governo. Antes da Revolução Francesa exaltava-se o Estado como  poder soberano, a própria ditadura e os governos tiranos com sua prática autoritária e sanguinária negavam as manifestações populares perseguindo, matando e torturando seus líderes e suas organizações de base para controlar os aparelhos de Estados e colocar a máquina a serviço dos interesses dos oligopólios, de partidos políticos e com isso se perpetuar no poder barbarizando o povo. Mas, nem todo mal dura para sempre.

O GIGANTE ACORDOU: A conquista da Democracia como Forma de Governo Popular traz consigo o resgate do Direito e por consequência o imperativo da Justiça como Poder Judiciário autônomo, em equilíbrio com o Legislativo e o Executivo formatado num Pacto Social que Aristóteles o chamou de Constituição. Nesta conjuntura cada povo desenvolve-se em consonância com as suas ralações concretas, em respeito à especificidade de sua formação socioeconômica e cultural. O Brasil não foi diferente, por sua “grandeza continental” e pela sua história colonial marcada pelo patrimonialismo da Casa-Grande e dos Barracões dos Seringais da Amazônia, o Brasil ficou alijado do Fórum das Nações desenvolvidas, passando somente a ser fornecedora de matéria-prima subjugada a interesses externo. No entanto, como já foi dito nem todo mal dura para sempre chega a hora que começamos a nos perceber no mundo, não mais como uma ilha, mas como sujeito de relações capazes de mobilizar força física e intelectual em favor do bem comum, da sociedade como um todo com firme propósito de combater à desigualdade social, exploração do trabalho e, sobretudo, nesta era petista, o combate à corrupção e o desgoverno.

VEM PRA RUA: De forma soberana sem peias dos partidos, o povo vem pra rua neste domingo (16) protestar contra o Lula, Dilma e toda sua cambada. Venha com as cores de nossa bandeira, mas não venha só, convide seus amigos e todos que se sentem lesados contra este governo que além de mentiroso é corrupto, incompetente e cínico destratando a nossa gente e na cara de pau recorre aos meios de comunicação para mentir e mentir na tentativa de matar nossos sonhos e esperança. Mas, saiba, definitivamente, que acima de qualquer interesse particular está o bem comum e os valores Republicanos. Em Manaus, faremos um esquenta no Jaraqui, na Praça da Polícia, sábado (15) das 10 às 12h e no Domingo a nossa concentração está marcada para a Praça do Congresso às 14h, no Pavilhão Nacional, o nosso grito é um só: FORA DILMA E LEVA O PT JUNTO.

COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Convocar o povo para protestar e cobrar a punição de mais de trinta assassinatos com as características de execução isso não pode, não é professor Aldemir? Convocar o povo para protestar contra a imensa sonegação fiscal que todos os anos retira mais dinheiro que a corrupção, isso não pode, né, professor? Condenar aqueles que vão às ruas pedir intervenção miitar, isso não pode, não é, professor? Esquecer que durante os anos FHC as denúncias de corrupção foram sumariamente arquivada, isso não pode, não é, professor? Falar que empresas públicas brasileiras rentáveis, como a Vale, foram vendidas a preço de banana, com financiamento do BNDES aos compradores, isso não pode, não é, professsor? Dizer que o Melo está fazendo um enxugamento da máquina pública, sucateando a segurança pública, isso não pode, não é, professor? que vergonha essa amnésia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here