Fiscalização

CIF autua estabelecimentos que descumpriram o decreto governamental no final de semana

FOTO: SSP-AM

Durante vistorias realizadas por agentes da Central Integrada de Fiscalização (CIF) entre a noite da sexta-feira (20) e a madrugada de domingo (23), seis estabelecimentos comerciais foram autuados. Ao todo, foram fiscalizados 35 locais, entre bares, restaurantes, casas de shows e flutuantes da capital amazonense. Destes, 10 tiveram suas atividades encerradas com a chegada dos agentes. As ações são coordenadas pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

Na avenida Parintins, bairro Cachoeirinha, o Kalifa Lounge Bar foi autuado pelos fiscais da Vigilância Sanitária Municipal (Visa Manaus) por promover aglomeração e por funcionar com pista de dança. O Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) notificou o estabelecimento por não apresentar equipamentos de proteção contra incêndio.

O bar Central Park, no Centro, zona sul de Manaus, foi autuado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) por obstrução de fiscalização, além de não possuir documentos obrigatórios para funcionar como bar e restaurante.

Na zona leste, o boteco Tomaki foi autuado pela Semmas por falta de Licença Municipal de Operação (LMO) e, no momento da chegada dos fiscais, havia aglomeração de pessoas. Os estabelecimentos Barola Society e Baixada Fluminense tiveram suas atividades encerradas com a chegada da CIF.

Na noite de sábado, os estabelecimentos Samba Funk do Vegas e a festa Casa de Praia no Murilo Rayol, foram encerradas pela CIF. Na rua Manoel Belém, no bairro Cidade Nova, um bar clandestino foi autuado pela Visa Manaus por realizar evento em período de suspensão.

Os estabelecimentos Un Ba Sushi Bar, Bar Amarelinho, Divino Restrobar e Salomé Bar receberam apenas orientação.

No domingo (22/08), o Atlético Rio Negro Clube, localizado no Centro, foi autuado pelos agentes da Visa Manaus. O local promovia aglomeração de pessoas e banda com mais de três músicos no palco.

Flutuantes

Na tarde do domingo foram realizadas fiscalizações em 10 flutuantes de Manaus. A maioria dos estabelecimentos fluviais receberam apenas orientações por parte dos agentes. O flutuante Salomé apresentou irregularidade por excesso de capacidade.

No flutuante Tupinambá, um homem foi preso por desacato e ameaça. Conforme o relato policial, o indivíduo agrediu a esposa e ameaçou a delegada Elizabeth de Paula, responsável pela CIF fluvial deste domingo. Ele foi conduzido para a Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), na zona centro-sul.

Efetivo ampliado

Por determinação do secretário de Segurança Pública do Amazonas, general Mansur, a CIF teve o efetivo ampliado e hoje conta agentes entre policiais militares, policiais civis, bombeiros militares, policiais da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop), da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), além de agentes da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP/AM), Vigilância Sanitária Municipal (Visa Manaus) e Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-AM).

Deixe um comentário