Brasil Saúde

Cidade paulista de Batatais decreta lockdown de 16 dias

As restrições incluem do toque de recolher à proibição de venda de bebidas alcoólicas. IMAGEM: Reprodução

Para conter o avanço do coronavírus, a cidade de Batatais, no interior de São Paulo, decretou o mais longo lockdownjá adotado no Estado. A população do município permanecerá confinada a partirdeste sábado (15) e até o dia 31 de maio. Ao todo serão 16 dias de lockdown. As informações são da Agência O Globo.

O decreto foi baixado na noite da última quinta-feira (13), pelo prefeito Junhinho Gaspar (PP), e está em vigor desde às 00h01 de ontem (15).

As aulas presenciais (nas redes pública e privada) e o transporte público foram suspensos. Aos supermercados só foi permitido abrir aos sábados, das 6h às 20h, e atender por delivery no restante da semana. No entanto, eles podem continuar abertos até a próxima segunda-feira (17). Padarias, açougues, hortifrutis, restaurantes, lanchonetes, pet shops e depósitos de gás também não poderão receber clientes (nem para a retirada de produtos) até 31 de maio.

Igrejas, fábricas, escritórios,salões de beleza, academias, clubes, feiras livres, lojas de material deconstrução, borracharias, oficinas mecânicas, loterias e o comércio em geraltambém permanecerão fechados até o fim do mês. A Prefeitura também impôs umtoque de recolher, a partir desde sábado, das 20h às 5h. Quem desrespeitá-lo pode ser multado em até um salário mínimo (R$ 1,1 mil).

A Associação Comercial e Empresarialde Batatais (ACE) divulgou uma nota criticando o lockdown e a suposta falta dediálogo da Prefeitura. “A ACE Batatais lamenta profundamente o posicionamentodo prefeito e autoridades sanitárias sem que houvesse um diálogo com asociedade, especialmente para que fosse possível a preparação adequada para aparalisação de atividades (…). Solicitamos publicamente que a administraçãomunicipal restabeleça o diálogo para discutirmos alternativas às medidasanunciadas”, afirma a nota, publicada no Facebook.

Deixe um comentário