Justiça

Caso Evaldo: Justiça condena 8 militares pelos homicídios de músico e catador no Rio

O julgamento dos militares durou mais de 15 horas.

O Tribunal de Justiça Militar condenou, na madrugada desta quinta-feira (14), oito militares do Exército responsáveis pela morte do músico Evaldo Rosa e do catador Luciano Macedo, em abril de 2019. A juiza Mariana Aquino absolveu outros quatro oficiais que não dispararam armas no dia do crime. As informações são do UOL.

O julgamento começou na manhã desta quarta (13) e durou mais de 15 horas. Sete dos oito condenados tiveram sua pena estipulada em 28 anos de reclusão em regime fechado. O Tenente Ítalo da Silva Nunes Romualdo, que chefiava a ação, foi condenado a 31 anos e seis meses em regime fechado.

Os oito militares serão expulsos da corporação por culpabilidade comprovada. Por 3 votos a 2, a Justiça Militar os considerou culpados por duplo homicídio e tentativa de homicídio. Todos os 12 militares julgados foram absolvidos por omissão de socorro.

A defesa dos réus informou que irá recorrer da decisão, e eles respondem em liberdade até que o caso transite em julgado, ou seja, que se esgotem todos os recursos.

Relembre o caso

No dia 7 de abril de 2019, Evaldo Rosa passeava de carro com a família quando teve seu veículo fuzilado pelos militares. No total, 257 tiros foram disparados, sendo que 62 dois atingiram o automóvel, e nove deles acertaram o músico.

No carro com Evaldo estavam sua esposa Luciana, o filho Davi, uma amiga, e o sogro, Sérgio Gonçalves de Araújo, que também foi ferido na mesma operação.

O catador de latinhas Luciano Macedo tentou ajudar as vítimas, mas acabou sendo atingido e morreu no hospital, 11 dias depois.

Deixe um comentário