Cápsula Amazônia é criada para auxiliar no tratamento de pacientes vítimas de Covid-19

Foto: Divulgação

A Aliança em Inovações Tecnológicas e Ações Sociais do Estado do Amazonas (AITAS-AM) apresentou a cápsula Amazônia, visando promover o auxílio no tratamento a pacientes vítimas do COVID-19, com atuação destinada à proteção dos profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate à doença, o fator diferencial é o isolamento.

A iniciativa é da AITAS e parceiros: Hospital Nilton Lins, Universidade Nilton Lins e Hospital Adriano Jorge. O projeto da cápsula Amazônia visa desenvolver um produto aprimorado que subsidie condições de melhorias nas atividades em saúde, no que tange a proteção para pacientes, profissionais da saúde e demais pessoas que estiverem no ambiente hospitalar.

Além dos parceiros institucionais tem os incentivadores da Ciência que contribuíram financeiramente e na logística para a construção do protótipo, se destacam: Engenheiro Afonso Lins, Professor Sanches, Professor Figueiredo, Presidente da ABEE e AITAS Amarildo Lima, e demais colaboradores que de alguma forma subsidiaram condições para que o projeto se desenvolvesse.

A cápsula Amazônia é uma conquista de muito esforço e coragem, sendo idealizada pela Engenheira Eletricista Aline dos Santos Pedraça (Coordenadora do Projeto), o Engenheiro Mecânico Aristides Rivera Torres (Coordenador Adjunto), o Médico Israelson Taveira Batista (Coordenador de Serviço Médico e Emergencial) e o Engenheiro Eletricista Luiz Felipe de Oliveira Araújo (Associado AITAS).

O projeto ainda conta com uma estrutura de multiprofissionais que compõe o grupo técnico sendo chamado de equipe multidisciplinar, que além dos idealizadores são: o professor Claudenor de Souza Piedade (Químico e Secretário da AITAS), o Professor Marcos Fernando de Andrade (Fisioterapeuta – UNINILTON LINS), o estudante Willickson Matos Ferreira (Engenharia Mecânica UEA/EST) e o PhD em Física Yonny Romaguerra Barcelay (membro da AITAS).

Segundo a Eng. Aline dos Santos Pedraça “a funcionalidade da cápsula Amazônia se destina, ao tratamento de pacientes vítima do COVID-19, aqueles de procedimento não invasivo, ou seja, pacientes que não estão entubados e que recebem tratamento via oral e intravenosa. A cápsula tem sua utilidade na proteção do profissional de saúde da linha de frente do combate ao novo coronavírus, protegendo-os do contato com o vírus, visto que, a cápsula é totalmente isolada, dispondo de compartimento para manipulação. Atividades como a alimentação do paciente, intervenções medicamentosas, realização de exames e monitoramento será feita utilizando a caixa de ferramentas tem portas que se abrem alternadamente e as mãos do profissional da saúde, através dos mangotes que permitem acionar o paciente sem precisar abrir a cápsula.

Os testes já estão sendo executados para ajustes de detalhes que, eventualmente, ocorram. Quanto aos custos se prioriza materiais de qualidade, de baixo custo e baixo impacto ambiental. A manipulação é feita por uma equipe multidisciplinar (profissionais da saúde e membros da equipe do projeto) que atuam na instrução da equipe de saúde que fará uso da cápsula com os pacientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here