Bolsonaro ataca intervenção no Rio: ‘Que guerra é essa que só um lado atira?’

"Já temos problemas demais aqui", disse o presidenciável
As Forças Armadas devem “servir à pátria e não a esse bando de vagabundos”, afirmou o deputado e presidenciável

deputado federal Jair Bolsonaro fez duras críticas ao decreto do presidente Michel Temer, nesta sexta-feira (16), que instituiu intervenção militar no Rio de Janeiro, até o dia 31 de dezembro.

“É uma intervenção decidida dentro de um gabinete, sem discussão com as Forças Armadas. Nosso lado não está satisfeito. Estamos aqui para servir à pátria, não para servir esse bando de vagabundos”, disse o deputado ao site O Antagonista.

O deputado, que é pré-candidato à Presidência da República e aparece em segundo lugar nas últimas pesquisas de intenção de voto, autorizar os militares a atuarem na segurança sem a aprovação do “excludente de ilicitude” não resolve o problema. “No Haiti, você podia atirar. Aqui como vai ser?”, questiona.

Segundo ele, “o problema da segurança no Rio não vai ser resolvido por decreto presidencial, assinando um papel”.

“Todo mundo diz que estamos em guerra. O Rio está em guerra. Mas que guerra é essa que só um lado pode atirar? Qualquer um do lado de cá, que tome uma medida de força, vai ter problemas depois na Justiça, seja o policial militar, o civil ou o rodoviário federal.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here