Saúde

Biden pede que mais países doem vacinas contra a covid-19

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta sexta-feira (26) que o surgimento da nova variante do coronavírus deve encorajar o resto do mundo a doar mais vacinas para os países mais pobres.

“Esta pandemia não vai acabar até que tenhamos uma vacinação global”, disse em um comunicado de Nantucket, onde passa o feriado de Ação de Graças.

Biden também pediu aos países que renunciassem às proteções de propriedade intelectual para permitir a fabricação de vacinas em todo o mundo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou na sexta-feira que a cepa B.1.1.529 do coronavírus, relatada pela primeira vez pela África do Sul em 24 de novembro, é uma “variante preocupante”, e a batizou de omicron.

Em resposta, os Estados Unidos anunciaram o fechamento das fronteiras para viajantes de oito países da África Austral: África do Sul, Botswana, Zimbabwe, Namíbia, Lesoto, Eswatini (ou Suazilândia), Moçambique e Malawi. Apenas cidadãos americanos e residentes permanentes poderão entrar no país vindos dessas nações.

“Para a comunidade mundial: as informações sobre essa nova variante devem deixar mais claro do que nunca por que essa pandemia não terminará até que tenhamos uma vacinação em nível global”, disse Biden.

“Os Estados Unidos já doaram mais vacinas para outros países do que todos os outros países juntos. É hora de outros países se igualarem à velocidade e generosidade dos Estados Unidos”, acrescentou.

O presidente pediu aos países que participarão na próxima semana de uma reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC) que suspendam as proteções à propriedade intelectual de suas vacinas contra o coronavírus, permitindo uma rápida expansão da fabricação.

“Esta notícia de hoje reitera a importância de agir rapidamente”, disse Biden.

*Com informações de MSN

Deixe um comentário