Belarmino Lins: “Thiago de Mello e Os Estatutos do Homem são patrimônios de toda a humanidade”

Deputado Belarmino Lins (PP)

Ao lamentar o veto da Procuradoria Geral do Estado (PGE) a projeto de lei, de autoria da deputada Joana Darc (PL), que declara o poema Os Estatutos do Homem, de Thiago de Mello, como patrimônio cultural imaterial do Estado do Amazonas, o deputado Belarmino Lins (PP) exaltou a obra como “um verdadeiro monumento aos sagrados direitos da pessoa humana, reconhecido pela ONU (Organização das Nações Humanas)”.

“Ainda bem que nós, parlamentares que amamos a cultura, derrubamos o absurdo por ampla maioria, pois o veto não tinha o menor fundamento, pois o poema Os Estatutos do Homem é patrimônio internacional, elogiado pela ONU como um grande monumento de exaltação aos direitos da pessoa humana e, inclusive, o poema é a porta de entrada do nosso Poder Legislativo, está gravado em letras douradas no hall da Aleam”, comentou o líder progressista.

Para Belarmino, Thiago, ao longo de sua existência construiu uma obra poética que, por seu alto nível literário e humano, ultrapassou as fronteiras brasileiras e ganhou o mundo ajudando a projetar o Brasil em todo o Ocidente. “Ele não é só o maior poeta amazonense, mas a maior expressão da poesia brasileira dos dias de hoje”, afirmou o deputado para quem Thiago de Mello está no mesmo nível de poetas celebres como Ferreira Gullar, João Cabral de Melo Neto, Manuel Bandeira, Vinícius de Moraes e Carlos Drummond de Andrade.
Conforme Belarmino, Thiago de Mello também é reconhecido no mundo inteiro por sua militância em defesa da ecologia e da paz entre os povos. “Ele é, sobretudo, um humanista sem par, defensor intransigente da natureza, da nossa floresta amazônica e dos cidadãos que a habitam”, finalizou.

Entre 1951 e 1996 Thiago publicou mais de dez livros de poesia, entre eles “Silêncio e Palavra” (1951) Vento Geral (1960); Faz Escuro, mas eu Canto (1965) Os Estatutos do Homem (1977); Mormaço na Floresta (1984); Vento Geral – Poesia (1951-1981); Num Campo de Margaridas, 1986; De uma Vez por Todas, 1996. Thiago de Mello também possui vasta obra em prosa e discos gravados em 1992 onde declama sua poesia como Os Estatutos do Homem e Poemas Inéditos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here