Política

Belarmino Lins elogia projetos que poderão destravar burocracia e melhorar setor primário

Deputado Belarmino Lins (PP)

Na opinião do deputado Belarmino Lins (PP), o Estado do Amazonas vive a expectativa da apresentação à Assembleia Legislativa, por parte do deputado Ângelus Figueira (DC), de dois projetos que poderão quebrar paradigmas e despertar o Estado para uma nova era de desenvolvimento econômico.

Os projetos, de acordo com informações, buscarão destravar a burocracia ambiental e melhorar o desempenho do setor primário, um setor que se manteve em alta mesmo com a pandemia. Na quinta-feira passada (15), em aparte a discurso de Ângelus anunciando os projetos, Belarmino disse que a iniciativa acontece em um momento em que o Estado clama pela busca de novas alternativas econômicas, inclusive devido a pandemia.

“Como um parlamentar municipalista que sou, destaco a iniciativa de Ângelus que pode dar novo impulso ao nosso setor primário, envolvendo a agricultura e a pesca, sendo ele um homem com raízes no interior, ex-prefeito de Manacapuru e empresário bem- sucedido”, expressou Belarmino Lins, um parlamentar também fortemente ligado ao interior, natural que é do município de Fonte Boa, no Alto Solimões.

Conforme ele, Fonte Boa é um bom exemplo na quebra de paradigmas. “A mudança de paradigmas em Fonte Boa se deu há 30 anos quando o governador da época, Amazonino Mendes, substituiu o remo pelo motor de popa, dando maior mobilidade ao homem ribeirinho em suas mais diversas atividades, foi uma grande conquista”, enfatizou.

Posteriormente – continuou Belarmino – em nível estadual outros paradigmas foram quebrados com o surgimento dos Centros de Educação de Tempo Integral (CETI) sob o governo do então governador Eduardo Braga, “escolas com padrão de Primeiro Mundo”. A seguir, veio a UEA, “um legado de Amazonino, Eduardo Braga e Omar Aziz”, que possibilitou à juventude interiorana, por meio de seus Núcleos, o acesso ao Ensino Superior.

Outra quebra de paradigma, segundo Belarmino, ocorreu em 2003 quando os deputados estaduais aprovaram a criação do FTI (Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas) sob a gestão Eduardo Braga. “Mais tarde, em 2019, com o governo Wilson Lima, os parlamentares estaduais, na Décima Nona Legislatura, fizeram com que o Governo do Estado destinasse 10% dos recursos do FTI para os municípios interioranos. E em 2020, os parlamentares conseguiram fazer com que o Governo reajustasse o percentual do FTI de 10% para 15%, ajudando muito mais os municípios”.

Agora, completa Belarmino Lins, “Ângelus Figueira brinda a municipalidade com grandes novidades, e nada impedirá que a Assembleia Legislativa eleve ainda mais o percentual do FTI em favor do interior”.

Deixe um comentário