Mundo

Após dia caótico, Congresso dos EUA certifica vitória de Biden

O Congresso dos Estados Unidos certificou na madrugada desta quinta-feira (7) a vitória de Joe Biden na eleição presidencial realizada em 2020. O que era para ser mera formalidade acabou se transformando em um dia violento depois que apoiadores de Donald Trump invadiram o Capitólio para contestar o resultado da eleição. Segundo a polícia de Washington, quatro pessoas morreram durante a invasão, entre elas uma mulher que foi baleada.

Após um comício de Trump perto da Casa Branca nesta quarta-feira (6), milhares de pessoas se dirigiram ao Congresso. O presidente, que afirma ter perdido a eleição por fraudes que até o momento não foram provadas, queria que o vice-presidente Mike Pence, presidente do Senado, descartasse os votos do Colégio Eleitoral que confirmaram a vitória de Biden. Pence, no entanto, publicou uma carta para os congressistas, na qual afirma que cumprirá seu papel constitucional, de contar esses votos.

Por causa da invasão, a prefeita de Washington, Muriel Bowser, decretou toque de recolher até 6h desta quinta-feira (8h no horário de Brasília). A situação no Capitólio só foi controlada após a chegada das forças de segurança, que retiraram os manifestantes do prédio.

Depois que foi realizada a limpeza do local, a presidente da Câmara dos Representantes, a deputada Nancy Pelosi, decidiu retomar a sessão após conversar com as lideranças dos dois partidos, com o vice-presidente Mike Pence, autoridades do Departamento de Justiça e do Pentágono.

Na reabertura da sessão no Senado, Mike Pence agradeceu aos policiais que atuaram para retirar os manifestantes do Capitólio e criticou os apoiadores de Trump. “Aqueles que criaram caos na nossa capital hoje: vocês não venceram. A violência nunca ganha”, afirmou o vice-presidente. Em seguida, o Senado rejeitou o pedido de invalidação do resultado da eleição presidencial no estado do Arizona. 93 senadores foram contra o pedido, enquanto seis votaram a favor. Na Câmara, 303 deputados foram contra o pedido, e 121 a favor da objeção ao resultado. Também houve objeção aos votos da Pensilvânia, mas 92 senadores rejeitaram o pedido e apenas sete foram a favor da invalidação do resultado no estado. Na Câmara, 282 rejeitaram a ação e 138 deputados votaram pela objeção.

A posse de Joe Biden e Kamala Harris acontece no próximo dia 20 de janeiro, em cerimônia que acontece na parte externa do Capitólio.

FONTE: R7

Deixe um comentário