Apenas metade dos amazonenses entregou a declaração do IRPF/2015

As declarações devem ser entregues até 30 de abril
As declarações devem ser entregues até 30 de abril

Faltando  apenas  duas  semanas  para  o  final  do  prazo  de  entrega das declarações  do  imposto  de  renda  2015,  menos da metade dos amazonenses acertou  as  contas  com o Leão. Até as 16h desta sexta-feira, 17 de abril, foram  entregues  157.699  declarações  no Amazonas. O montante é de apenas 49,37%  das  319  mil  declarações  esperadas. O prazo encerra-se no dia 30 abril.

Na 2ª Região Fiscal, que engloba os Estados do Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia  e  Roraima,   613.769  contribuintes  cumpriram a obrigação com o fisco.

Mobilidade

Esse  ano, uma das facilidades anunciadas é a possibilidade do contribuinte salvar  o  arquivo da declaração e recuperá-la noutro dispositivo. São três as formas de preenchimento:

1.  No microcomputador, utilizando o PGD IRPF;
2.  Em dispositivos móveis, utilizando o aplicativo m-IRPF;
3.  Ou por meio da declaração online, disponível no e-CAC.

Ao  salvar  online,  será  possível  começar o preenchimento utilizando uma forma e continuar em outra.

Multa por atraso

O  contribuinte obrigado a entregar a declaração, no caso de entrega após o prazo  previsto  ou da não apresentação, fica sujeito ao pagamento de multa por atraso, calculada da seguinte forma:

·    existindo imposto devido, multa de 1% ao mês-calendário ou fração de
atraso,  incidente  sobre  o  imposto devido, ainda que integralmente
pago,  observados  os  valores mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% do
imposto devido;

·    inexistindo imposto devido, multa de R$ 165,74.

Quem está obrigado a apresentar a Declaração de Ajuste Anual:

1 – recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma  foi superior a R$ 26.816,55 (vinte e seis mil, oitocentos e dezesseis reais e cinquenta e cinco centavos);

2   –   recebeu   rendimentos   isentos,   não  tributáveis  ou  tributados exclusivamente  na  fonte,  cuja soma foi superior a R$ 40.000,00 (quarenta mil reais);

3  –  obteve,  em  qualquer  mês,  ganho de capital na alienação de bens ou direitos,  sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;

4 – relativamente à atividade rural:

a)  obteve  receita  bruta em valor superior a R$ 134.082,75 (cento e trinta  e  quatro  mil,  oitenta  e  dois  reais  e  setenta  e cinco  centavos);

b)  pretenda  compensar,  no  ano-calendário  de 2014 ou posteriores,  prejuízos  de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário  de 2014;

5  – teve, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00 (trezentos mil reais);

6  –  passou  à  condição  de  residente  no Brasil em qualquer mês e nesta condição se encontrava em 31 de dezembro; ou

7  – optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital  auferido  na  venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda
seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no  País,  no prazo de 180 (cento e oitenta) dias contados da celebração do contrato  de  venda,  nos  termos  do  art.  39  da Lei nº 11.196, de 21 de novembro de 2005.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here