Amazonino Mendes assume o Governo do Amazonas pela quarta vez

Amazonino Mendes irá ficar no cargo pelo período tampão, até o fim de 2018 (Foto: Ariane Alcântara/G1 AM)
Amazonino Mendes irá ficar no cargo pelo período tampão, até o fim de 2018 (Foto: Ariane Alcântara/G1 AM)

Da Redação – Nesta quarta-feira (4), por volta das 11h, no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Amazonino Mendes (PDT) tomou posse como novo Governador do Estado, em cumprimento a decisão judicial. O ato foi presidido pelo presidente da Aleam, Abdala Fraxe (Pode), em solenidade em que participaram representantes do Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas, Procuradoria Geral, Câmara Federal, Câmara Municipal de Manaus, deputados, vereadores, entre outros convidados.

Na galeria lotada ecoava a frase “o Negão voltou” acompanhada de muitos aplausos na posse do líder máximo do executivo estadual Amazonino Mendes, assumindo pela quarta vez o posto. O secretário da Aleam, deputado Sabá Reis, fez a leitura ao Termo de Posse tanto do novo Governador como do seu vice Bosco Saraiva.

“Quero saudar as pessoas, aqueles que têm esperança, a eles toda nossa dedicação, também quero falar que deve haver harmonia e respeito entre os poderes, eu não me sinto governador, sinto-me escravo do povo e irei cumprir com dignidade a minha função, pois não tem sentido para um homem que deu mais de 30 anos de sua vida ao povo, fazer outra coisa que servir e agora me reconduz a este doce sacrifício, acredito em São Francisco e irei governar para todos os amazonenses”, discursou Amazonino.

“O meu agradecimento para esses eleitores nobres que tiveram a responsabilidade de eleger e acreditar que podemos construir um futuro melhor, pois há uma evolução natural na politica, onde muitos tiveram que adotar padrões e agora são livres e eu os acolho de braços abertos”, salientou o governador empossado. Ele destacou ainda a grandeza de Bosco Saraiva em aceitar a responsabilidade da segurança do estado.

Equilíbrio fiscal

Logo após a posse na Aleam, políticos, imprensa e convidados se dirigiram à sede do Governo, na Compensa, para acompanharem a posse dos novos secretários e começar o trabalho, como afirmou Amazonino Mendes.

Ao ser questionado sobre a situação na saúde e o dinheiro deixado em caixa pelo governo interino, David Almeida, ele disse: “há momentos em que daremos mais atenção a um setor, mas entendendo que tudo está interligado. Teremos atos revolucionários com o fim de avançar. O dinheiro anunciado pelo anterior gestor é uma falta de respeito à população. Sabemos das muitas contas a pagar. Um exemplo são os R$ 200 milhões às cooperativas, mas teremos uma alvorada, uma recuperação nacional e estamos vendo melhorar a receita do ICMS para equilibrar as contas fiscais”.

Também falou como será a relação com a Aleam. “O problema é institucional. O poder executivo e legislativo estão acima das pessoas e do individualismo. Agora vou assinar a nomeação dos novos secretários e amanhã eles devem começar a trabalhar”, finalizou.

Mercedes Guzmán

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here