Álvaro Campelo reúne com instituições bancárias e cobra melhorias dos serviços no interior

Deputado Álvaro Campelo (Progressistas)

Depois de receber dezenas de denúncias de vereadores quanto à má prestação dos serviços prestados pelas agências bancárias no interior do estado, o vice-presidente da Comissão de Obras, Patrimônio e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa do Amazonas (CGESP/AM), deputado estadual, Álvaro Campelo (Progressistas), realizou reunião técnica na manhã desta segunda-feira (07), no mini-auditório Beth Azize na Aleam, com representantes do Banco do Brasil e Bradesco para cobrar providências quanto a denúncias de desabastecimento de cédulas nos terminais de autoatendimento, descumprimento da Lei das Filas, dentre outros problemas que vêm afetando diversos municípios, em especial, Fonte Boa, Tonantins, Santa Isabel do Rio Negro, Lábrea, Silves, Tabatinga, Jutaí, Juruá, Japurá, Careiro Castanho, Parintins, Lábrea, Anori e Maraã.

De acordo com a vereadora de Anori, Avelândia Feitosa (PROS), há mais de dois anos a Câmara de Vereadores vem pedindo ao Bradesco, a solução para a escassez de cédulas nas agência e nos caixas eletrônicos. “O Bradesco tem causado grandes transtornos para o nosso município, e hoje estou aqui para ser a voz de toda população, que vem sofrendo com o desabastecimento de dinheiro desde antes de 2017, prejudicando principalmente os moradores da zona rural, que chegam na cidade após horas de viagem e não conseguem ser atendidos. Já entramos com diversos ofícios, pedindo ao banco que solucione esse problema e nenhuma providência foi tomada. Isso é um grande descaso com o consumidor”, afirmou a parlamentar.

Álvaro Campelo reforça que é preciso uma resposta definitiva aos problemas para que se evitem maiores prejuízos à população. “Tenho recebido diversas reclamações dos municípios a respeito do descumprimento da Lei das Filas, da insuficiência de cédulas nos caixas eletrônicos, imposição de limite para saques e débitos, além da espera por parte dos clientes do lado de fora das agências, debaixo de sol e de chuva. Todas essas questões foram repassadas aos representantes das instituições bancárias para que, ao menos, amenizem o sofrimento da população interiorana”, concluiu Campelo.

No próximo dia 04 de novembro, será realizada uma nova reunião com os bancos e representantes do Procon Amazonas, Febraban, Banco Central e Polícia Federal, a fim de avaliar os encaminhamentos já tomados e discutir outras alternativas para combater a precarização dos serviços bancários no interior.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here