Aliança Guaraná de Maués ajuda a incrementar renda de agricultores

Foto: Divulgação/Idesam

As ações de apoio e valorização da agricultura familiar pela Aliança Guaraná de Maués (AGM) já renderam importantes conquistas aos produtores do município, conhecido mundialmente como a Terra do Guaraná. Graças a esse trabalho de suporte à Ambev, na safra de 2018 a 2019, foi possível aumentar de 15 toneladas para 62,3 toneladas de guaraná compradas pela fabricante diretamente de agricultores familiares de Maués.

Nesta nova fase, o Idesam tem a missão de acompanhar a rastreabilidade junto aos grupos organizados que realizaram venda direta para a Ambev, o que representou, na última safra, um incremento de até 45% na renda dessas famílias. A quantidade de grupos apoiados já significa uma evolução se comparado a primeira fase da Aliança, quando os trabalhos foram iniciados com apenas 01 associação de produtores (atualmente são mais de 08 grupos envolvidos).

“A gente assumiu esse compromisso com a Ambev de melhorar sempre a relação com os agricultores familiares, apoiando na valorização e rastreabilidade do produto, ao mesmo tempo em que a gente melhora a economia do município e assegura o melhor valor pago pelo guaraná aos agricultores”, afirma Ramom Morato, coordenador de produção rural sustentável do Idesam.

O apoio na organização dos agricultores que vivem do cultivo de guaraná se mostrou uma importante ferramenta de empoderamento dessas famílias, que muitas vezes se veem ‘obrigadas’ a vender sua produção para atravessadores, que nem sempre praticam um preço justo.

Além desse aumento na venda direta para a Ambev, outras conquistas da AGM envolvem a formação de jovens agricultores em intercâmbios, congressos e cursos em outras regiões, a implantação de unidades demonstrativas de guaraná agroflorestal e transição orgânica de guaranazal, avanços na criação de um código único para agricultores de Maués, fomentando o controle e rastreabilidade, além do apoio ao Selo de Identificação Geográfica para garantir a origem do produto.

Um dos produtores apoiados é José Cristo de Oliveira, que vê a Aliança Guaraná como um avanço para o município. “É uma maneira de incentivar o produtor local a desenvolver da melhor forma possível o seu trabalho. A cada atividade oferecida pela Aliança nós sentimos motivados e buscamos mais conhecimento, seja com curso de capacitação ou até mesmo ajudando o colega produtor”, destacou.

Apoio sociocultural

O fortalecimento da cadeia produtiva do guaraná também passa pela valorização da cultura milenar em torno do cultivo do fruto, algo que sempre influenciou as manifestações artísticas no município. Pensando nisso, a AGM desenvolve ao longo desses anos diversas ações voltadas aos mestres e mestras do conhecimento e, principalmente, aos jovens, que carregam nas mãos o futuro desse setor da economia mauesense.

Essas atividades contemplam oficinas para confecção de Instrumentos musicais para jovens (Projeto Luthier Ricardo Macedo), a doação de quimonos infantis (Projeto Social Dojô) para competição, roupas e materiais para fortalecimento de Grupos Culturais, Oficinas de Arte e Grafite com crianças, circuitos de Parteiras e Medicina da Mulher, Sarau da Consciência Negra e Indígena. Tudo isso representou mais de 200 crianças e jovens impactados pelas ações filantrópicas no município.

No campo da educação, a Aliança Guaraná de Maués apoiou ainda a formação de professores visando o Plano Político Pedagógico das Escolas da Terra Indígena Andirá-Marau, com oficinas e produção de material didático que reflitam mais a realidade local para as escolas da educação infantil.

Sobre a AGM

A Aliança Guaraná de Maués (AGM) surge em outubro de 2017 com a missão de proporcionar ambientes coletivos de formação e debate para a proposição e execução de ações com participação social e governamental relacionadas ao guaraná e outras importantes temáticas. Com um olhar holístico, principalmente para a educação, cultura e agricultura sustentável, a AGM tem ainda como base o respeito à sociobiodiversidade local e fortalecimento da valorização enquanto modo de vida e de geração de bem viver global.

Sobre o Idesam

O Idesam (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia) é uma organização não-governamental sem fins lucrativos sediada em Manaus, capital do Estado do Amazonas. Com 15 anos de atuação, o Idesam desenvolve um trabalho integrado, compreendendo uma atuação de base, no contato com produtores rurais e comunidades tradicionais, até a formulação de políticas internacionais, atuando junto a organizações que trabalham com clima e desenvolvimento sustentável.

Os projetos do Idesam estão distribuídos nos programas: Mudanças Climáticas e REDD+ (PMC), Manejo e Tecnologias Florestais (PMTF), Produção Rural Sustentável (PPRS), Carbono Neutro (PCN) e nas coordenações de Políticas Públicas e Áreas Protegidas.
As pesquisas, estudos científicos e atividades de campo são implementados por uma equipe diversificada de profissionais e contribuem para estimular a discussão e o debate na busca de soluções criativas e apropriadas para os desafios sociais e ambientais da Amazônia.

*Com informações da assessoria

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here