Alessandra Campêlo cobra pagamento aos produtores de juta e malva

Dep. Alessandra Campêlo

Durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa  do Estado do Amazonas (Aleam) na última terça-feira (4), a deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) disse que encaminhou um ofício ao Governo do Estado e a Secretaria de Produção Rural (Sepror) solicitando a regularização dos pagamentos dos subsídios aos produtores de juta e malva.

De acordo com a parlamentar, os pagamentos dos subsídios devem ser regularizados urgentemente, para que os produtores rurais de Manacapuru e localidades próximas não sejam penalizados. “O subsídio da juta e da malva mais uma vez está na terceira parcela em atraso. É importante que o Governo tome providências, uma vez que existem recursos suficientes para fazer esses pagamentos”, observou a deputada.

Alessandra disse que reenviou um ofício que já tinha encaminhado anteriormente ao Executivo. Segundo ela, as três parcelas atrasadas não chegam a custar R$ 6 milhões aos cofres públicos. Um valor considerado viável para pagamento, se comparado a diversos contratos milionários celebrados pelo Estado. “Quero mais uma vez ser a voz desses produtores que ficam esquecidos pelos gestores”, enfatizou a líder do MDB na Casa.

Luta antiga

A parlamentar ressaltou que vem cobrando os pagamentos dos subsídios da juta e malva desde a administração do ex-governador cassado, José Melo (Pros), passando pela era David Almeida (PSB) e agora novamente na gestão Amazonino Mendes.

“Cobro de todos, não é uma questão de ser oposição ou situação. É uma questão de justiça. Os produtores não têm culpa desse jogo de empurra-empurra dos governadores. A questão é que tem que ser pago”, concluiu Alessandra, que recentemente esteve nos beiradões de Manacapuru. 

Representação

Alessandra concluiu seu pronunciamento dizendo que, se o Governo não resolver o pagamento dos subsídios da juta e malva o mais breve possível, fará uma representação do Ministério Público Estadual (MPE).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here