Agricultores do Amazonas pedem apoio do Estado para realizar o CAR

(Foto: Mercedes Guzmán)

Na quarta-feira, 21/8, o seminário “Oportunidades e Desafio Rural” realizado na sede da Fetagri/AM, na avenida Joaquim Nabuco, 1630, casa 13, Centro de Manaus, organizado pelo Sistema de Monitoração e Avaliação Social e Ambiental (Simasi), teve como destaque o palestrante professor Takashi Yamauchi. Os agricultores de 22 municípios reclamaram da falta de apoio do Governo do Estado do Amazonas. Várias são as dificuldades dos trabalhadores rurais, tais como regularização da terra, registro no cadastro ambiental rural (CAR) e acesso ao crédito pelo Banco da Amazônia, entre outros.

Segundo a presidente da Fetagri, Edjane Rodriguez, representantes de 22 municípios participaram do seminário e destacou a importância pela orientação no acesso às politicas sociais. “Estamos trabalhando para que as organizações dos agricultores familiares regularizem sua documentação e também no que se refere ao CAR”, disse.

Crédito ao agricultor amazonense é avaliado pelo estado de Rondônia

Edjane Rodrigues, presidente da Fetagri

Segundo a secretária de Políticas Agrárias da Fetagri, Lúcia Nicasio, o trabalhador rural tem como principal dificuldade realizar o Cadastro Ambiental Rural (CAR) devido os órgãos estaduais exigirem vários documentos e não prestam assistência para isto. “O governo tirou o pouco recurso que dava (1%) e não atende a demanda dos agricultores familiares no interior do estado. Falta uma política pública voltada para este setor. Tem agricultor que mora há mais de 50 anos e não tem documento da terra”, destacou.

A representante da Fetagr também informou que falta alimento na mesa das famílias dos agricultores e para acessarem ao créditos no Banco do Amazonas passaram agora a ser avaliado pelo estado de Rondônia.

O secretario de meio ambiente da Fetagri, Aldenor Sobrinha Barbosa, mostrou-se também preocupado com o desmatamento na Amazônia. “Falta acesso dos agricultores a mecanização da terra. Graças ao termo de cooperação com a secretaria municipal de meio ambiente temos a possibilidade de fazer o CAR e termos alguns benefícios. Estamos mobilizados com 60 sindicatos para consolidar este cadastro de mais de 55mil agricultores”, frisou.

Agricultores da terceira idade estão desassistidos

Segundo a secretaria de politicas da 3ª idade da Fetagri, Izete Rodrigues Rabelo, o trabalho está voltado à orientação da aposentadoria, entre outras. “O agricultor da terceira idade pensa ainda no bem-estar da família e não nele próprio. Falta remédio, não há médico geriatra nos municípios do interior e pessoas com mais de 60 anos estão morrendo por falta de assistência”, salientou.

Reportagem: Mercedes Guzmán

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here