Luiz Castro diz que não vê perspectiva de mudança no governo de Amazonino

Dep. Luiz Castro
Dep. Luiz Castro

Em pronunciamento durante a Sessão Ordinária desta quinta-feira (5), da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o deputado Luiz Castro (REDE) fez considerações a respeito da mudança de governante no Estado, com a posse do governador Amazonino Mendes (PDT), e da condução “desastrosa” do governo do país pelo presidente Michel Temer (PMDB), que segundo ele só beneficia os planos de retorno ao poder do ex-presidente Lula.

Abrindo o discurso com referência à posse do novo governador, Luiz Castro disse que não se pode vislumbrar nenhum sinal de mudança positiva na forma como Amazonino Mendes pretende atuar junto com sua equipe de governo, e que a perspectiva mais próxima de seu governo é de “mais um déjà vu do clientelismo e do paternalismo, que se tornaram escola política no nosso Estado há décadas”.

Segundo o deputado, pela forma como o novo governante compôs seu secretariado, atendendo compromissos políticos, Luiz Castro acredita que não haverá avanços, até porque o governador é um homem experiente e preparado e não deixa modificar a forma como ele conduz a política e como busca liderar seu grupo político. “Mesmo assim desejamos que ele tenha mais acertos que erros. Apesar das divergências profundas, esperamos que ele tenha um desempenho razoável nesse mandato”, disse.

Na segunda parte do seu discurso, Luiz Castro fez uma comparação entre os governos do PT, com os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, e o atual do PMDB, com o presidente Michel Temer, que segundo ele tem se tornado o maior cabo eleitoral do ex-presidente Lula e tem ajudado a apagar da memória de parte da população os gravíssimos erros cometidos pelo PT e pelos ex-governantes.

“Tivessem eles permanecido no poder, os indicadores do país estariam muito piores do que estão hoje, mas por ironia do destino quanto mais este governo Temer permanecer no poder, mais ele beneficia o governo que o antecedeu. O desastre de Temer beneficia no imaginário de parte da população o retorno de Lula ao poder, assim como desperta a linha reacionária de Bolsonaro”, argumentou.

Para Luiz Castro, ambos os caminhos são muito ruins para o país, tanto do ponto de vista da gestão pública, da gestão econômica e do ponto de vista ético na governança, porém o Brasil precisa superar essa cultura da corrupção, “do contrário seremos eternamente um país que se deixa saquear por uma elite gananciosa, remanescente do império, que se apropria do poder em benefício próprio”.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here